Breitling assinala 60.º aniversário no espaço com novo Navitimer Cosmonaute

breitling-navitimer_2
breitling-navitimer_1
01_Breitling-Navitimer-Cosmonaute-Limited-Edition_RGB
previous arrow
next arrow

Para celebrar o 60.º aniversário da sua primeira viagem espacial, reivindicando oficialmente o título de “primeiro relógio de pulso suíço no espaço”, a Breitling lançou uma edição limitada de 362 exemplares numerados do mítico Navitimer Cosmonaute.

Estávamos em 1962 quando a Breitling foi a marca relojoeira escolhida oficialmente para ser a primeira no espaço, mais concretamente no pulso do astronauta Scott Carpenter, durante a sua missão Mercury-Atlas 7, a bordo da nave espacial Aurora. Na época o indiscutível relógio para pilotos, não surpreendeu que o Navitimer – fruto da mestria e know-how da Breitling no que diz respeito a relógios de aviação – fosse o escolhido. Aperfeiçoado com um pedido especial de Carpenter – um mostrador de 24 horas, para distinguir o dia da noite no espaço –, nascia assim o Navitimer Cosmonaute com o qual a Breitling, a 24 de maio de 1962, reivindicaria oficialmente o título de “primeiro relógio de pulso suíço no espaço” depois de este astronauta ter orbitado a Terra três vezes. No pulso de Scott Carpenter, o Navitimer Cosmonaute seria imortalizado na História da Humanidade, tornando-se uma referência na era espacial.

Sessenta anos após a histórica missão espacial, a Breitling não só apresentou publicamente, pela primeira vez, o Cosmonaute original — revelando a incrível história do relógio — como também lançou um tributo moderno ao mesmo, um lançamento especial está limitado a 362 exemplares numerados, que distinguem as circum-navegações da Terra da nave espacial e o ano em que a missão fez história, assinalando aquele que foi um passo decisivo para os voos espaciais tripulados.

Momentos que ficaram para a História

A 24 de maio de 1962, a cápsula espacial Aurora 7, que levava Carpenter a bordo, amarou em segurança no Atlântico cinco horas após o lançamento. A operação de resgate decorreu durante três horas, com uma exposição prolongada à água do mar, o que resultou em danos irreparáveis no Cosmonaute de Carpenter. A Breitling substituiu de imediato o relógio de Carpenter. Contudo, aquele pedaço da história espacial, corroído e desgastado, permanece nos arquivos das coleções Breitling — não restaurado e desconhecido para a maior parte das pessoas, pelo menos até agora.

No passado 24 de maio, exatamente 60 anos após o seu histórico voo, esse grandioso relógio do espaço foi apresentado pela primeira vez a uma seleção de colecionadores, jornalistas e entusiastas de relógios num evento temático em Zurique, inspirado no espaço. Foi uma tarde repleta de interações animadas, coapresentada por Georges Kern e o antigo astronauta da NASA Scott Kelly, no qual estiveram presentes membros da família Carpenter, Gregory Breitling e o historiador e colecionador Fred Mandelbaum, entre outros convidados de renome.

Navitimer Cosmonaute em edição limitada

O Cosmonaute é um verdadeiro Navitimer, o que significa que possui todos os traços característicos do ícone da aviação da Breitling: a régua de cálculo circular para a realização de cálculos matemáticos, o logótipo alado da Associação de Pilotos e Proprietários de Aeronaves e o trio de submostradores de cronógrafo. O que separa o Cosmonaute – concebido de acordo com as especificações de um astronauta – do resto da sua família é o mostrador de 24 horas. O calibre manufaturado Breitling B02 foi concebido especificamente para desempenhar esta tarefa.

À primeira vista, uma fiel reprodução do original, o novo Cosmonaute, um relógio de 41 mm com elegantes proporções, está repleto de novas características. A começar pelo bisel em platina, um toque de classe que torna esta edição numerada ainda mais colecionável. Outra nova característica é o fundo de caixa em cristal de safira transparente, que permite contemplar o movimento B02 e as suas gravações especiais na ponte, desenhadas para assinalar a ocasião: as palavras “Carpenter”, “Aurora 7” e “3 orbits around the Earth”, juntamente com o nome do grupo original composto por sete astronautas selecionados para os primeiros voos espaciais tripulados da NASA, “Mercury 7”. Uma homenagem à estética do Cosmonaute original, esta edição limitada conta ainda com atualizações subtis que atuam de forma quase impercetível para conferir o seu carácter retromoderno. Como tributo final, o fundo de caixa apresenta uma gravação com a data da missão de Carpenter, o número do relógio (de entre os 362) e a frase “First Swiss wristwatch in space” (O primeiro relógio de pulso suíço no espaço).

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados