Fátima Magalhães, sete anos de crescimento no segmento editorial premium

Fátima Magalhães

Há sete anos, Fátima Magalhães sonhou e arriscou. Lançou o primeiro número da F Luxury, em Portugal e em Angola, e prometeu conquistar o segmento editorial premium. A persistência e a resiliência fizeram parte de um caminho exigente, mas compensador. Hoje, Fátima Magalhães assegura que este é um título vencedor. Nesta edição especial de aniversário, a CEO revela os segredos que estão por detrás da gestão de uma revista que soube adaptar-se aos desafios dos tempos, reinventar-se e progredir, e explica por que razão a imprensa escrita continua a ser “necessária e única”, no presente e no futuro.

Por Sofia Santos Cardoso

A F Luxury celebra sete anos de edições. O que significa esta meta para si?

Olhando para trás, vejo a F Luxury como um projeto editorial de referência no segmento premium, tanto em Portugal, como também em Angola. A F Luxury é, actualmente, um importante veículo editorial com posicionamento A+, uma referência e um guia para leitores que privilegiam o melhor.

Esta é uma meta com grande significado, pois tem sido – e ainda está a ser – extremamente compensador liderar este projeto. Há sete anos, ousei apostar num sonho e criar uma revista única, que estivesse presente em dois países em simultâneo, num mercado de nicho como o é o setor editorial de luxo e, hoje, a F Luxury é, sem dúvida, um título vencedor. A F Luxury soube conquistar o seu lugar, mas este crescimento também se deve às empresas e às marcas de sucesso que estão alinhadas com o seu posicionamento e a um núcleo de leitores, quer no papel, quer no digital, que nos confirmam que esta ‘caminhada’ tem valido a pena.

Nos últimos anos, o mercado editorial tornou-se cada vez mais digital. Que alterações foram necessárias para manter a F Luxury atrativa?

Superando todas as expectativas, e num reflexo de todo o trabalho empreendido, a revista tem conseguido singrar. Para além da venda em banca, em Portugal e em Angola, a F Luxury, acompanhando as atuais tendências, também está presente no universo digital com um site dinâmico, diariamente atualizado e fortemente complementado pelas suas redes sociais.

Na sequência do seu crescimento, a F Luxury está também disponível no ‘Quiosque Digital’ da companhia aérea TAP, podendo ser lida a bordo dos seus aviões, nas classes Top Executive e Executive, em todos os voos.

De forma a compensar quem apoia o projeto, em todas as edições da F Luxury, as marcas parceiras e os anunciantes possuem um lugar de relevo, que designámos de ‘Luxury Guide’, onde destacamos os lançamentos e as novidades do segmento da alta joalharia e relojoaria, além de acessórios sempre muito exclusivos. Para além disso, procuramos ter sempre os melhores conteúdos e as personalidades de relevo envolvidas, de modo a que a sua leitura seja sempre convidativa.

Com o aparecimento da pandemia, os últimos tempos exigiram adaptações no mercado editorial. Quais foram os maiores desafios trazidos pela ‘era COVID-19’?

Têm sido tempos desafiantes mas, nem por isso, me fizeram baixar os braços. Persistência e resiliência são fundamentais para enfrentar obstáculos difíceis e é a nossa reação à adversidade, não a adversidade em si, que determina como a história da nossa vida se desenvolve. Foi um delicado período, durante o qual, a equipa da F Luxury esteve sempre em regime de teletrabalho, para que nada falhasse aos nossos leitores e anunciantes. Por nos vermos privados das bancas, que se encontravam fechadas, enveredamos por edições digitais, sem nunca descurar o papel. E desenvolvemos o nosso site, melhorando-o e tornando-o apto para ser um canal de aquisição de revistas, quer na versão papel, quer na digital.

De facto, a pandemia trouxe muitos desafios a todos nós, nomeadamente com profundas transformações no mercado da imprensa escrita. Foi um período em que se tornou necessário reinventarmo-nos e progredir, desdobrando-nos em várias plataformas, divulgando o nosso trabalho com o recurso a outras ferramentas. E continuamos aqui, no sétimo ano de edições, rumo ao futuro.

Em 2020, decidiu lançar um novo projeto de networking feminino, o “F Club”, que reúne regularmente várias mulheres empresárias. O que a moveu na criação deste projeto?

O F Club é um projeto que acalento há já algum tempo e que, tal como dizia Fernando Pessoa (‘O Homem sonha e a Obra nasce’), acabou por ver ‘a luz’. Fundado por mim, nasceu com o intuito de reunir mulheres, empresárias e empreendedoras, à volta de temas da atualidade e de empoderamento feminino, tendo a gastronomia como ‘pano de fundo’. É um clube que promove o encontro dos seus membros femininos, de dois em dois meses, sendo muito abrangente, em termos de áreas e setores da vida empresarial.

Ao criar este projeto, percebi que não havia nenhum conceito semelhante que desse ‘voz’ à mulher empresária e empreendedora, como eu. O F Club é um palco de excelência para promover e estabelecer relacionamentos pessoais diretos que alcancem um melhor desenvolvimento dos seus negócios, a todos os níveis. Dependendo do pacote, os membros podem, uma vez por ano, apresentar a sua empresa num dos almoços, onde serão feitas palestras de interesse comum, sobre a atualidade, bem como intercâmbio entre as empresárias ao mais alto nível.

Que balanço faz deste primeiro ano de F Club?

Enquanto mentora e fundadora do F Club, sinto uma imensa felicidade por ver que o clube conseguiu chegar tão longe e congregar mulheres distintas, das mais variadas áreas, que se tornaram membros, bem como marcas que nunca deixaram de acreditar nos meus projetos.

Ao fazer um pequeno balanço deste meu – ainda jovem – clube, ressalto as oportunidades de empoderamento, de networking, inspiração e muito talento no feminino, que o F Club proporcionou ao longo dos almoços que realizou.

Num formato intimista, este clube convida ao encontro, à partilha e ao debate. É uma oportunidade para fazer parte de uma reflexão conjunta sobre liderança feminina, igualdade de género e os desafios da mulher contemporânea. Um objetivo que tem vindo a ser cumprido.

Desde o lançamento do primeiro número da F Luxury, em 2015, até aos dias de hoje, foram muitas as conquistas e vitórias. Que momentos mais a marcaram?

Fazendo uma retrospetiva, sinto que foram alguns, mas ressalto sobretudo o facto de ter conseguido fazer vingar um projeto que não existia, quer junto dos leitores, quer no que respeita a parceiros e clientes, bem como de edificar a credibilidade de uma revista como a F Luxury.

Volvidos sete anos, o projeto consolidou-se e soube conquistar a confiança de grandes e prestigiadas marcas que vieram dar-lhe mais força. Por outro lado, tenho consciência de que, cada passo de crescimento que dou, e cada edição que sai constituem, para mim, momentos únicos. Orgulho-me de cada uma das edições que publicamos e prossigo no sentido de tornar a F Luxury sempre melhor. Trabalho afincadamente para que tal aconteça todos os dias.

Um projeto editorial com as características da F Luxury requer rigor e muita atenção ao detalhe. Qual é o seu segredo para manter este padrão de elevada qualidade?

Conforme se pode ler em todos os editoriais que escrevo para a revista, F é a letra que comanda os meus projetos. Representa também F de foco, que tem sido sempre o meu principal motor e perseguir o sonho é o que me alimenta.

Ao longo destes sete anos, soube sempre nutrir-me de desafios e metas, e do desejo de continuar a crescer como mulher e empresária e acredito que tal tem transparecido no projeto F Luxury. Com o meu nível de exigência, tenho conseguido manter o seu posicionamento, que é elevado, ou não pertencesse, como o próprio nome indica, ao segmento do luxo. Pessoalmente, penso que o meu segredo foi acreditar e lutar pelos meus objetivos, pois para se atingir o sucesso, é necessário ser-se perseverante e manter uma atitude positiva.

Acredita que, a longo prazo, os títulos em papel poderão ter fim? Que futuro prevê para o mercado editorial e, em particular, para o segmento de luxo?

O mercado premium ainda pede o tipo de revista como a nossa. A F Luxury tem-se assumido, cada vez mais, como uma coffee table magazine, por excelência, provando que o digital não é táctil, nem possui qualquer fragrância, portanto, não apela a todos os nossos sentidos, tal como uma revista em papel. O prolongamento destes tempos difíceis tem feito, infelizmente, alguns títulos ficarem pelo caminho, mas é por acreditar no meu projeto que ressalvo a importância do papel e da imprensa escrita. A internet, embora útil, não preenche a globalidade dos nossos sentidos. A informação nem sempre nos chega de forma organizada e fidedigna. É sempre preciso dar outros passos. A F Luxury, por sua vez, é uma revista desenhada para dar prazer, folhear, ler e sentir. É uma publicação com curadoria, em que a sua equipa seleciona sempre e apenas o melhor. Por isso, tal como ocorre com os livros, não há maior prazer do que sentir o peso de uma F Luxury e deixar as nossas mãos “passearem” sobre o acetinado das suas páginas… E de sentirmos o perfume que as mesmas emanam.

Que F Luxury gostaria de ter no futuro?

Gostava que a F Luxury continuasse a ser uma revista de referência, que fosse ainda mais reconhecida, não precisando tanto de justificar o que faz. Que conquistasse mais marcas de prestígio para a acompanharem no seu percurso, que sempre prevejo longo. Resumindo, que seja uma revista que continue a destacar-se pelos seus conteúdos ricos e que se afirme pela sua exímia qualidade.

Sugestões de destaques:

“Para além da venda em banca, em Portugal e em Angola, a F Luxury, também está presente no universo digital com um site dinâmico, diariamente atualizado e fortemente complementado pelas suas redes sociais.”

“Sinto uma imensa felicidade por ver que o F Club conseguiu chegar tão longe e congregar mulheres distintas, das mais variadas áreas, bem como marcas que nunca deixaram de acreditar nos meus projetos.”

“Soube sempre nutrir-me de desafios e metas, e do desejo de continuar a crescer como mulher e empresária, e acredito que, tal tem transparecido no projeto F Luxury.”

“A internet, embora útil, não preenche a globalidade dos nossos sentidos. (…) A F Luxury, por sua vez, é uma revista desenhada para dar prazer, folhear, ler e sentir. É uma publicação com curadoria, em que a sua equipa seleciona sempre e apenas o melhor.”

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados