André Opticas, Family Affair Eyewear

Andre-Opticas-Tivoli-Forum-Lisboa30
_DSC9025
_66B9041
Andre-Opticas-Tivoli-Forum-Lisboa33
_M__5597
Andre-Opticas-Cascais-Cascaishopping5
previous arrow
next arrow

Sensíveis ao design, os membros desta família, que vê este ano a sua empresa celebrar 40 anos, prossegue um percurso que é, desde o início, vencedor. Das peças de culto à coleção própria, das colaborações com marcas ou artistas, a André Opticas tem muitas razões para se orgulhar deste caminho, de ser o que é. André Leal, na primeira pessoa, em entrevista exclusiva.

Como é gerir um negócio de família e partilhar o sucesso entre os que nos são tão próximos?

É um verdadeiro prazer olhar para os últimos 40 anos e recordar o trajeto feito, as dificuldades superadas e os sucessos alcançados. Um projeto familiar em que apostámos tudo de nós, pois a família inteira depende e vive do negócio. Vivemos muito intensamente a André Opticas porque, além da questão financeira, é a história da família. É, de facto, um sentimento muito especial e temos muita sorte, pois trabalhamos muito bem em conjunto, estando todos alinhados naquilo que pretendemos para o futuro da empresa, e cada um dos quatro membros do CA tem as suas áreas de atuação bem definidas.

Que grandes desafios, ao longo destes 40 anos, têm conseguido ultrapassar que possam atribuir a esta relação / coesão familiar?

No início, foram os meus pais, Ana e Plínio, a trabalhar durante anos, lado a lado. Neste momento, somos quatro. Eu somo 20 anos – e a minha mulher, a Rita, 13 – de projeto André Opticas, durante estes anos temos vindo a contribuir com opiniões, ideias, estratégias e novas ferramentas, seja para a superação de dificuldades, seja para o desenvolvimento de novos projetos. Parte do nosso sucesso vem exatamente desta complementaridade entre todos. Somos polivalentes e estamos todos dentro das várias áreas da empresa, mas cada um afeto às suas responsabilidades e departamentos. Esta distribuição de tarefas e responsabilidades permite-nos, sem exceção, uma maior liberdade de movimentos e, consequentemente, um melhor desempenho da empresa no geral. Em suma, os grandes desafios a superar foram a manutenção do serviço e o trato personalizado aos nossos clientes, o sentimento de familiaridade que mantemos desde o início da empresa, quando éramos apenas dois elementos até ao presente, quando já somos sessenta. A gestão de tantas pessoas, lojas, serviços e marcas continua a ser muito parecida à inicial, embora agora com sistemas que permitem o controlo e a medição do desempenho e da qualidade de serviço prestado aos nossos clientes.

Se pudessem voltar trás, haveria algo que teriam feito de modo diferente? O que seria e porquê?

Não querendo parecer cliché, não teríamos mudado rigorosamente nada pois foi o nosso trajeto, com todas as dificuldades, erros e consequentes aprendizagens que nos trouxeram ao ponto em que estamos hoje. Não seríamos os mesmos se não tivéssemos feito o nosso caminho exatamente como fizemos. Estamos onde queremos e ocupamos no mercado o lugar que queríamos, além de que, em questões familiares e, consequentemente, profissionais, o nosso mind set não é de arrependimento pelo que fizemos, mas sim pelo que não fizemos, e temos perfeita noção de que, para servirmos os nossos clientes como queremos, não poderíamos ter feito mais.

O negócio da André Opticas não deixa margem para dúvidas. É um nome consolidado e sinal de qualidade, de rigor e curadoria nas suas coleções. Como foi chegar até aqui?

O resultado de 40 anos de dedicação ao serviço de excelência, produtos de alta qualidade, e exclusivos, trouxeram de forma muito orgânica um reconhecimento que já é internacional. O nosso portfolio de marcas, onde estão algumas das mais raras peças de nicho do mundo, bem como o nosso arquivo de óculos vintage, e o Atelier, onde produzimos manualmente peças únicas à medida do cliente, são argumentos muito fortes que tornaram o nosso nome num sinónimo de qualidade, rigor, atenção e exclusividade. Não há maior prova da nossa capacidade e conhecimento de óculos do que a nossa própria capacidade de criarmos o nosso produto. E fazemo-lo única e exclusivamente por paixão, por uma curiosidade incessante de querer saber mais sobre este maravilhoso mundo que é o de “Dar a dádiva da Visão”. Como tal, chegar aqui e ver este reconhecimento é uma sensação muito satisfatória, especialmente porque foi uma evolução natural, um verdadeiro assunto e história de família e por isso criámos a nossa própria marca – Family Affair Eyewear.

Portugal começa a ser pequeno para a André Opticas? Para onde apontam os vossos olhares agora?

Portugal é enorme! É a nossa base e o mundo é o nosso local de trabalho. Temos clientes de todo o país e turistas, estrangeiros, que nos visitam e ficam surpreendidos com as nossas lojas, serviços e produto. Este facto funciona para nós como um barómetro que mostra que “lá fora” não estão à nossa frente, e que estamos bem estruturados e desenvolvidos em relação ao setor da ótica internacional. Estamos, neste momento, já em pleno funcionamento com a nossa loja online a partir de onde fazemos envios para todo o mundo. Com as plataformas digitais, redes sociais e o nosso website, temos diariamente clientes nacionais e internacionais a solicitarem os nossos serviços, o que nos demonstra que estamos a crescer no mundo digital e o algoritmo do Google está atento a nós. Ao dia de hoje, esse é um dos nossos focos.

De entre o cardápio de marcas, qual ou quais estão no vosso radar? Fechámos há pouco alguns exclusivos com marcas fantásticas como Off—White e Gentle Monster, Palm Angels, que julgamos serem referências que deviam estar representadas em Portugal. Em breve, teremos mais novidades que não podemos para já revelar, mas 2022 será um ano de muitas surpresas, sendo que um dos nossos maiores focos, em termos de marcas, será a nossa House Brand – Family Affair.

Por Isabel Figueredo

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados