Mini Strip, design sustentável by Paul Smith

O Mini Strip fez a sua estreia mundial em Londres no passado dia 12 de agosto  Este carro único, feito sob medida, é produto da colaboração entre a MINI e Paul Smith, anunciada em novembro de 2020, um diálogo entre as duas marcas britânicas icónicas que têm vindo a partilhar a suas ideias criativas sobre design sustentável nos últimos meses.

P90432228_highRes_mini-strip-08-2021
P90432226_highRes_mini-strip-08-2021
P90432218_highRes_mini-strip-08-2021
P90432227_highRes_mini-strip-08-2021
previous arrow
next arrow

O Mini Strip destaca uma abordagem inovadora no seio da questão da sustentabilidade no fabrico automóvel. Com base no tema abrangente de ‘Simplicidade, Transparência, Sustentabilidade’, o carro apresenta ideias inspiradoras no que respeita a um método mais sustentável de design automóvel. Como o nome sugere, o processo começou por desmontar completamente um Mini Cooper SE de três portas, reduzindo-o à sua essência estrutural. Apenas aqueles elementos que o designer considerou absolutamente necessários foram definidos, implementados e colocados em prática – com a sustentabilidade em primeiro lugar.

Para mim, o Mini Strip mostra de uma forma impressionante que a MINI e Paul Smith partilham a mesma forma ousada de pensar sobre o futuro em termos de inovação e design – e juntos criamos mais. Paul fez perguntas essenciais logo no início do processo de design e, portanto, nova. É um orgulho termos desenvolvido uma forte declaração de caráter juntos”, disse Oliver Heilmer, Chefe da MINI Design.

A MINI sempre foi receptiva a pontos de vista que vão além do seu universo; que ajudam a marca a aprimorar a visão de si mesma, na forma como aborda os desafios. Paul Smith, um designer apaixonado por bicicletas, livros e muito mais, fez perguntas que forneceram um novo ímpeto para explorar além do óbvio. “Estou extremamente grato pela oportunidade de repensar o icónico MINI”, referiu. “Conheço e adoro o carro existente, mas ao respeitar o passado e olhar para o futuro, criamos algo muito especial. Sinto-me muito privilegiado pelo facto de a equipa MINI ter-me dado confiança e liberdade para pensar lateralmente sobre a abordagem do design do carro. Juntos, acho que criamos algo verdadeiramente único, voltando ao básico, reduzindo as coisas e desmontando o carro”.

O design – a imperfeição perfeita.

O processo conduzido em conjunto aplicou o princípio da redução máxima para produzir um design minimalista de alta classe com um apelo novo e não convencional. Vários toques inteligentes conferem ao exterior do MINI Cooper SE de três portas uma estética totalmente única. As matérias-primas são uma parte muito deliberada do design exterior. Tal significa que o corpo foi deixado no seu estado inacabado, sem nenhuma tinta colorida aplicada, mas apenas uma fina película de tinta transparente para proteção contra a corrosão. As marcas de fábrica foram conscientemente deixadas intactas nos painéis de aço galvanizado para identificar claramente o carro como um objeto funcional e companheiro robusto para a vida quotidiana. Este efeito intencionalmente rudimentar também foi apelidado de “a imperfeição perfeita” por Paul Smith.

A expressividade inalterada dos materiais.

Seções da familiar faixa preta do MINI são impressas em 3D de plástico reciclado e as suas qualidades básicas de material foram deixadas expostas, como os painéis de metal. O entusiasta de bicicletas – que gosta de arregaçar as mangas ocasionalmente e substituir ou modificar partes individuais das suas bicicletas de estrada – contribuiu com a sua inspiração para os parafusos visíveis nas peças adicionais, que mostram como seria simples desmontar e como o veículo poderia ser reincorporado ao ciclo da matéria-prima no final da sua vida útil. Os elementos funcionais e distintos do avental dianteiro e traseiro foram igualmente fabricados segundo um processo de impressão 3D, que produziu aquela textura marcante.

O acabamento da grade e as coberturas aerodinâmicas dos pneus são feitos de Perspex reciclado, economizando peso e recursos. O Perspex reciclado também foi usado para o grande teto panorâmico que permite que olhos curiosos vejam a estrutura praticamente nua da carroçaria interna.

Todas as peças de acabamento foram omitidas (com exceção do painel, almofada de cima e prateleira), transformando a carroçaria no recurso visual dominante da cabina. Foi colorido de azul a pedido explícito de Paul Smith, produzindo um efeito particularmente atraente. O material básico exposto e o tom de azul intenso conferem ao interior um apelo estético muito próprio; está nu, mas parece “vestido” ao mesmo tempo. Em vez do design de várias partes convencional, o painel consiste unicamente numa grande secção semitransparente com acabamento em vidro fumado. Seguindo a sugestão do uso tradicional de elementos circulares do design do MINI, a geometria foi bastante simplificada com uma interpretação muito mais gráfica. Não há nenhum instrumento central clássico, deixando o smartphone do condutor para ocupar o centro do palco. Este é colocado onde o display central normalmente estaria, conecta-se automaticamente ao carro e, ao fazer isso, torna-se o centro de controle de media.

Juntamente com o design geométrico minimalista dentro do MINI STRIP, o uso de materiais reciclados e ecológicos também reforça as qualidades de sustentabilidade do veículos. O interior é totalmente isento de couro e cromo, com bancos estofados em malha. O design totalmente monomaterial para os revestimentos dos assentos significa que estes são totalmente recicláveis. Os tapetes são feitos de borracha reciclada. O seu padrão de terrazzo é um subproduto do processo de reciclagem e fabrico e mostra positivamente os elementos constituintes multicoloridos que desfrutam de uma segunda vida como parte deste material.

O tipo de cortiça aqui utilizado não contém nenhum aglutinante sintético e é totalmente reciclável. Com a sua firmeza agradável, combinada com um toque macio, a cortiça pode ser um substituto da espuma de plástico no futuro. Devido à reciclabilidade da cortiça e ao seu estatuto de matéria-prima renovável que de facto “fixa” o dióxido de carbono durante a sua produção, existe aqui potencial para reduzir os gases com efeito de estufa. Outro efeito colateral positivo do tecido de malha e da cortiça é que ambos são materiais com poros abertos que melhoram a acústica interna.

O volante, que também é um ponto focal do interior, foi reduzido às funções mais essenciais. O seu aro foi envolvido em fita de guiador no verdadeiro estilo de bicicleta de estrada. Três raios de alumínio conectam o aro ao amortecedor de impacto do volante, cuja cobertura de malha permite ver o airbag por trás. Como na parte externa do carro, há parafusos visíveis que mostram como seria fácil desmontar o volante posteriormente e reaproveitar o alumínio.

Uma pequena etiqueta de tecido Paul Smith na posição de uma hora é um dos indicadores para a colaboração que pode ser encontrada no interior. Os painéis das portas são feitos do mesmo material de malha que cobre o airbag. A estrutura da porta pode ser vista claramente atrás dos painéis de malha, que são mantidos dentro de uma moldura. A transparência da malha tricotada muda de acordo com o ângulo de visão, adicionando dimensão à aparência do interior. Os manípulos das portas em alumínio estão alojados nos rebordos de cortiça e garantem um toque de acabamento de alta classe para a área da porta.

Despertar ideias para um futuro mais sustentável. A forma segue a função em todos os detalhes engenhosos incorporados no MINI STRIP. Simplicidade, transparência e sustentabilidade são os temas que norteiam o processo de design e brilham em todos os aspetos do carro. Tal permitiu que o MINI STRIP traduzisse a filosofia de Uso Criativo do Espaço do MINI num redesenho radical e fundamental de um MINI – especialmente no interior.  

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes