Guerlain: The Bee Bottle, por Begüm Khan

A Guerlain tem vindo a reinventar, consistentemente, a sua herança através de criações originais, na fronteira entre o amor pela Perfumaria e a paixão pela Arte.

guerlain_BECO21-103
guerlain_BECO21-102
guerlain_BECO21-101
guerlain_GB6A3991
guerlain_GB6A3991-copia
guerlain_GB6A5548
previous arrow
next arrow

Edições excepcionais da Maison são fruto de encontros entre artistas e artesãos, cada um com um savoir-faire notável nas suas respetivas áreas de craftsmanship.

Prosseguindo esta tradição, nasce agora um novo projeto artístico, evocativo do que em tempos se designou Oriente. A jovem assinatura Begüm Khan criou uma nova pele decorativa para Bee Bottle, uma obra de arte trabalhada segundo uma abordagem única. Inspirada pelo Oriente e pela arte otomana, a designer Begüm Kiroglu optou por criar uma verdadeira joia composta por elementos que evocam o Ocidente e o mundo da Guerlain. Begüm deixou que a sua inspiração se exprimisse, livremente, extraindo de uma paisagem de sonho, algo excêntrica, onde flora e fauna se redefinem.

Como parte deste projeto original e em linha com a nova roupagem, surge Le Songe de la Reine, uma nova e exclusiva fragrância criada por Thierry Wasser. A leste, além do Mediterrâneo, o Bósforo forma a porta de entrada entre a Ásia e a Europa e hospeda Istambul, capital da arte otomana e cidade de mil tesouros artísticos.

Begüm Kiroglu, designer de joias, cresceu numa família de colecionadores de arte. Iniciou os seus estudos na Universidade de Milão antes de se mudar para Xangai, onde se especializou em arte chinesa. Admiradora da arte nas suas mais variadas formas, a joalharia acabou por ser a área adotada e na qual se especializou, ali na fronteira entre arte, design e moda. Embora tenha tido a oportunidade de interagir com muitas culturas diferentes, o Oriente continua a ser a sua principal fonte de inspiração. Ao regressar a Istambul, Kiroglu decidiu criar a sua marca de joias parcialmente homónima (2012), combinando o seu nome de batismo, Begüm, com o nome Khan, a palavra mongol e turca para “líder”, “soberana” ou “sultão”. Como mulher, tal representou um movimento ousado ao inscrever e vincular o seu universo a contos épicos recontados. Com uma imaginação efervescente, caprichosa, a designer projeta obras de arte que reinterpretam a natureza, a flora e a fauna, abrindo um livro fantástico de feras e símbolos.  

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes