Arte com mensagem

Ana Silva, artista plástica, formada pela AR.CO em Desenho e Pintura, nasceu em Angola, partilhando este país atualmente com Portugal, onde vive e trabalha.

Saco Fardo - Técnica mista
Saco Fardo - Técnica mista
Saco Fardo - Técnica mista
Manto - Técnica mista (cola branca, linhas, acetato, bordados, desenho)
Manto - Técnica mista (cola branca, linhas, acetato, bordados, desenho)
Manto - Técnica mista (cola branca, linhas, acetato, bordados, desenho)
Estendal - Técnica mista sobre saco de ráfia (bordados, entretela, fita-cola)
Estendal - Técnica mista sobre saco de ráfia (bordados, entretela, fita-cola)
Estendal - Técnica mista sobre saco de ráfia (bordados, entretela, fita-cola)
previous arrow
next arrow
 

 

“Através de uma abordagem artística muito pessoal, marcada pelo uso de diferentes materiais como tela, madeira, metal, acrílico, tecido, rendas…, Ana Silva questiona as noções de heranças e transferência de saberes entre as diferentes gerações femininas.

Após a guerra civil angolana, Ana tenta recolher e recriar histórias pessoais para as suas obras. Na série o Fardo, tirada do nome dado aos sacos para o transporte de roupas de segunda mão doadas para África, e que são comercializadas, a artista contesta o uso de materiais tipicamente associados ao uso feminino, como os bordados e as rendas, de forma a denunciar a rutura dos sistemas sociais e o consumo excessivo ligado à indústria da moda.
Nestes sacos, borda momentos da vida captados em Angola, sempre com um lado estético e poético muito presentes. Ana também destaca uma situação social crítica marcada por fortes desigualdades.”(Texto da exposição ‘The Power Of My Hands’, traduzido pela artista, patente em Paris)

MANTO

Acumulando em si toda a sua força, o manto retrata a família. A escolha, os estímulos, que projetam tanta energia que é impossível não se sentir, o trabalho nele impresso por mãos tão delicadas, dão a esse objeto tanto beleza como realeza, todo o tempo é feito de ramificações que nos ligam a memórias passadas, que me são espelhadas no presente como em pequenas aparições. Nesse sentido vou trazendo Histórias que são de grande relevância no decorrer de todo o meu processo artístico e criativo. Sou transparente. Sou alma. Sou frágil. Sou mulher e exponho nessa mesma matéria os sonhos que eu mesma vou vivendo, como um casamento perfeito entre o pensamento e a criação. São estas as linhas que dão continuidade e movimento à imagem, como trilhos que percorro. São a matriz da imagem de minha consciência.

O MEU ESTENDAL

No meu estendal, penduro histórias do quotidiano, histórias de meu viver, um passeio pela cidade.
Percorro longas avenidas, descanso o tempo suficiente. Recupero o fôlego da vida que me rodeia. No meu estendal, preparo detalhadamente cada passo que dou; Escuto com atenção o virar do vento, vejo cada detalhe que me entristece ou me alegra, são as cores da cidade que pinto. É o ritmo cosmopolita que encantou minha alma.

FARDO

Um diálogo entre tempos e memórias.
Vestimos emoções já vividas.
Um novo reencontro de gerações,
Épocas dentro de um saco… que atravessam oceanos ao reencontro de outras identidades, outras Culturas e através desta se misturam.
Este conceito tem a ver com o facto de as pessoas vestirem roupa usada enviada para África, oriunda de vários países, roupas que pertenceram a várias pessoas, épocas e tendências, e também a carga emocional que ela carrega.

FICHA TÉCNICA

  • 2021 Exposição coletiva entretecidos, pavilhão Branco Lisboa (EGEAC), curadoria Tobi Mayer
  • Participação na feira 154 em Paris, com a Galeria André Magnin
  • Exposição coletiva Museu de Arte Moderna de Paris (The power of my Hands) África 2020, a decorrer até Setembro de 2021
  • 2020 participação na ArtGeneve sala vip UBS com a Fundação AFRICANA
  • Exposição individual (POPUP) Genebra com a Fundação AFRICANA
  • 2019 Residência/ exposição Fondation Blachere Fill
  • 2017 Exposição coletiva “Conexões Femininas – Conexões íntimas no espaço privado”, galeria do Banco Económico, Luanda.
  • 2015 participação Expo de Milão, pavilhão de Angola
  • 2014 Exposição individual, Instituto Camões Embaixada Portuguesa em      Luanda
  • 2010 Exposição coletiva pop-up Lisboa – instalação performance
  • 2008 Exposição individual SIEXPO, Luanda
  • 2007 Exposição coletiva, artistas lusófonos (Intersecções Lusófonas) UCLA, Lisboa, Portugal           
  • 2006 Exposição coletiva de artistas africanos, Viana do Castelo, Portugal; Exposição coletiva, Aveiro, Portugal; Exposição coletiva de artistas angolanos, Museu da América, Madrid, Espanha; Exposição coletiva de artistas lusófonos, Palácio Ribamar, Lisboa, Portugal; Exposição individual, Museu de História Natural, Luanda, Angola; 2004 Participação na Feira de Arte Contemporânea, Lisboa, Portugal; 2002 Residência artística, Lisboa, Portugal;          
  • 1999 Exposição individual de pintura, escultura e cerâmica, Alliance Française, Luanda, Angola.

Exposição a decorrer:
Museu de Arte Moderna de Paris (The power of my hands) englobada no projeto África 2020

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes

Joias de cabelo

Incontornáveis na passarela das últimas semanas de moda de Paris e Nova Iorque, os adornos