Agenda: as viagens épicas a planear

previous arrow
next arrow
Slider

Já todos sonhamos com viagens e aventuras, daquelas memoráveis, planeadas no nosso arquivo mental, para quando o mundo for um lugar mais seguro. Agora mais do que nunca, ansiamos por experiências únicas na vida, porque agora mais do que nunca, há que valer a pena. Além disso, e conforme demonstrado em vários estudos, planear uma viagem é bom para a saúde mental. Preparámos uma lista de lugares a constar da agenda, lugares a conhecer no mundo pós-pandemia. Inspire-se em alguns dos itinerários mais épicos que possa imaginar.

Utah, EUA

Basta olhar para Arches, Canyonlands ou Bryce Canyon e percebemos por que razão o Velho Oeste sempre exerceu um certo fascínio sobre nós, desde os tempos dos filmes western. Com paisagens inspiradoras e a perder de vista, um cenário quase cinematográfico, este é um destino para se descobrir devagar. O ideal é empreender um trajeto com verdadeiros e experientes cowboys para explorar a região a cavalo e pernoitar num acampamento de luxo privado em Robbers Roost, local emblemático, que proporciona a mise-en-scène da aventura, com um dos amanheceres mais fantásticos a que se possa assistir ao vivo.

Great Walks, Nova Zelândia

A Nova Zelândia já era um destino conhecido pela sua natureza intocada e ótimos locais para caminhadas, especialmente na Ilha Sul, onde muitos dos mais belos Great Walks estão localizados. O turismo neozelandês conseguiu criar e manter vários trilhos para caminhadas em todo o país, onde é possível percorrer algumas das paisagens mais inspiradoras da Nova Zelândia, com distintos níveis de dificuldade e duração. Com várias rotas cénicas à escolha, as mais recomendáveis são a Trilha da Costa de Abel Tasman, bem como toda a extensão da Trilha Routeburn. Porém, para fazer essas caminhadas, há-que planear com antecedência, de forma a reservar as cabanas ao longo do trajeto.

Passeio no Nilo, Egito e Jordânia

O atrativo deste itinerário é fazer a rota de Luxor a Aswan num antigo dahabiya particular, uma embarcação comum no Egito durante a monarquia das décadas de 1920 e 1930, quando os aristocratas cruzavam o Nilo. Hoje, a versão moderna tem todas as comodidades. Este é um passeio modo slow, que proporciona a oportunidade de parar e explorar aldeias, plantações de banana, bem como vestígios de templos e túmulos antigos ao longo do trajeto. A viagem também inclui uma visita particular ao nascer do sol nas Pirâmides de Gizé, um passeio pelo Vale dos Reis – o famoso local de descanso do Rei Tutancamon –, um passeio particular por Abu Simbel, bem como um trajeto em jipe pelas famosas dunas de areia de Siwa e o Grande Mar de Areia.

Ilha de Páscoa, Chile

Grande e remota, esta ilha está localizada a mais de 3.500 km de distância do continente mais próximo. A fascinante cultura de Rapa Nui é uma das culturas mais interessantes e enigmáticas que existem, sendo possível ver a estátua de Rapa Nui com os nossos próprios olhos, uma experiência única na vida. Aqui, existe a possibilidade de alugar um quadriciclo, por exemplo, e explorar a ilha longe de todos, podendo inclusive sair-se à noite e ver o céu estrelado como nunca o vimos antes. Para se chegar à Ilha de Páscoa, há-que voar até Santiago e de lá apanhar o voo doméstico da LATAM Airlines. Uma vez na ilha, pode-se alugar um carro, um quadriciclo ou uma bicicleta e explorar a ilha remota por conta própria.

Supercarro na Lapónia, Finlândia

Experiências épicas também podem ser traduzidas em adrenalina. Como é sabido, a Finlândia é o berço de pilotos de corrida reconhecidos internacionalmente. As suas superfícies geladas, estradas onduladas, trilhos sinuosos de terra e o vislumbre frequente da vida selvagem prepararam os finlandeses para lidar com condições adversas e desafiantes. Propomos a experiência no Ártico com um supercarro, com dois dias de instrução completa de condução no gelo, incluindo slaloming em pistas de gelo que têm o dobro do tamanho das pistas de Fórmula 1. Tudo isso, complementado por paisagens magníficas e a exótica culinária nórdica.

Himalaias, Nepal

O Nepal é um dos países mais incríveis e intocáveis, permitindo-nos o acesso a algumas das áreas mais impressionantes dos Himalaias e, seguramente, garantia de uma viagem inesquecível. É possível ir diretamente para a montanha e começar a percorrer um dos muitos trilhos panorâmicos do país ou seguir as rotas do Annapurna Base Camp ou do Everest Base Camp, qualquer um deles altamente recomendado. Com infraestruturas turísticas para acomodar caminhantes de todo o mundo, são várias as opções quando se trata de casas de chá, uma experiência obrigatória. Há que viajar para Kathmandu para entrar no Nepal e a partir dali poderá voar até ao início dos trilhos e começar a caminhada até aos Himalaias.

Salar de Uyuni, Bolívia

A maior planície de sal do mundo assegura-nos uma experiência inolvidável. Caminhar sobre esta superfície salina é uma experiência altamente cinematográfica e única. Para explorar o Salar de Uyuni em pleno, recomenda-se viajar de jipe pelas salinas, dormir num hotel feito de sal e relaxar numa fonte termal a alta altitude, na remota região montanhosa da Bolívia, sem deixar de visitar os geisers vulcânicos do Sol de Mañana. Convém planear a sua viagem com antecedência, podendo reservar um passeio numa agência de viagens local, como a Red Planet Expedition.

Passeio sob as estrelas, Namíbia

Trocar a agitação pela absoluta verdadeira calma, numa jornada pela Namíbia, em estradas belas e vazias, é também o que propomos. Este é um dos poucos lugares no mundo onde se pode conduzir com segurança sob a luz das estrelas, de Windhoek ao Hoanib Valley Camp, passando por luxuosos spots ao longo do caminho. O céu escuro da Namíbia e as aparições celestiais estão entre as coisas mais inspiradoras do mundo, pelo que este é outro lugar que todos devemos visitar uma vez na vida. Conduzir à noite, com as estrelas como bússola, pode revelar-se das experiências de viagem mais intensas a usufruir na vida.

The Outback, Austrália

O deserto do Outback é o lugar perfeito para se viajar pela Austrália. Com uma vasta área deserta despovoada, tão remota que até mesmo os australianos raramente ali vão, é possível aceder a todos os locais sagrados aborígenes como Uluru e Kata Tjuta. Existem belíssimos trilhos para passeio, como o Kings Canyon. Também é possível andar de camelo ao pôr do sol enquanto se observa Uluru. Mas há muito mais a fazer e a ver no Outback! Para se chegar a Uluru, há que voar a partir de cidades como Melbourne ou Sydney para Ayers Rock (outro nome para Uluru) ou voar para Alice Springs e descer até lá.

Portugal

Por último, mas não menos importante, o nosso próprio país, e agora mais do que nucan devemos ajudar a economia local. Passemos, por isso, um fim de semana fora de casa, (re)descubramos muitas das suas maravilhas. Pode ser por Sintra, para sentir toda a magia e mistério na Quinta da Regaleira, ou Évora, e surpreendermo-nos com a Capela dos Ossos. Podemos percorrer o encantador bairro de Beira Mar em Aveiro, a Veneza de Portugal, e perdermo-nos pela sua rede de canais ou fazer como Madonna e cavalgar um cavalo numa praia deserta, quase selvagem, na Comporta. Experiências não hão de faltar, mas o importante é ajudar a impulsionar a economia, com a esperança de que em breve tudo estará terminado e que começaremos a viajar novamente.

Por João Libério

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes

Ana Abalroado Santos

A Store Manager da Bvlgari Lisboa tem uma ligação estreita, emocional e de longa data,