Marcas de lingerie high-end

Estamos a assistir a um renascimento na indústria de lingerie. Uma nova alvorada que dá prioridade à essência sobre a apreciação masculina, ao conforto em vez dos contornos. A lingerie está a mudar de sexy para confortável. Enquanto o mundo enfrenta o agora extinto Victoria’s Secret Fashion Show, os novos conceitos de lingerie têm a capacidade de celebrar a silhueta feminina – em qualquer forma que possa assumir.

previous arrow
next arrow
Slider

Depois do movimento #MeToo, as imagens de mulheres “objetificadas”, com grandes seios e curvas proeminentes, deixaram de ser aceitáveis. Há uma forte procura pela inclusão e as marcas estão a afastar-se do modelo de mulher com medidas perfeitas. Tal significa um adeus aos sutiãs push-up em detrimento de formas práticas, materiais de origem ecológica e máximo conforto. O glamour ainda existe, mas o seu significado está a ser redefinido. Eis aqui um olhar sobre as principais marcas de lingerie de luxo.

Cosabella

Cosabella é uma empresa familiar de lingerie que usa o artesanato italiano na produção de roupas íntimas de luxo. O casal Valeria e Ugo Campello fundaram a sua marca em 1983, e hoje Cosabella é conhecida por fazer roupas íntimas elegantes e de alta qualidade com os melhores materiais. Como cada peça é feita à mão por artesãos italianos, uma única tira pode levar até 10 horas a ser criada. A dedicada atenção de Cosabella aos detalhes e designs intemporais já conquistaram uma legião de fãs entre as celebridades, incluindo Kim Kardashian, Jennifer Lopez, Naomi Campbell e Jessica Alba.

Eres

Às vezes, a subtileza pode ser sexy, e esta marca francesa é a prova disso. Sinónimo de minimalismo e elegância na lingerie, a Eres cria peças delicadas em tons pastéis, adotando uma abordagem less is more com uma estética clássica, que nunca passará de moda. Conhecida pelos seus cortes icónicos e materiais inovadores, a Eres produz lingerie desde 1998. As peças feitas à mão, surpreendentemente confortáveis, são ideais para o uso diário, e não apenas para ocasiões especiais.

Savage x Fenty

A marca de Rihanna cria lingerie com tamanhos inclusivos, sendo, ao mesmo tempo, incrivelmente sexy para a mulher renascentista moderna. Os sutiãs chegam à copa H, e a maior parte da sua lingerie vai até um 3XL, pelo que o positivismo do corpo feminino está escrito no seu DNA. Como a própria Rihanna diz: “Savage x Fenty é sobre respeito. Faça o que fizer, seja você assumidamente. Abrace a individualidade.” A marca oferece peças sensuais em cores e padrões inesperados, desde ursinhos de peluche a tangas e espartilhos.

La Perla

É uma marca de lingerie de topo por um bom motivo – propõe estilos clássicos com uma acentuada dose de luxo. É praticamente impossível falar de lingerie sem falar de La Perla. A marca italiana tornou-se conhecida como a referência no que toca a peças de lingerie elegantes e sexy. Desde vestidos babydoll a delicadas bralettes de renda, La Perla tem uma peça para a sensibilidade de cada pessoa. A marca também se concentra na sustentabilidade e tem o compromisso de garantir que os seus materiais sejam provenientes de fornecedores éticos.

Kiki de Montparnasse

A mitologia que cerca Kiki de Montparnasse (nascida Alice Prin) – artista, modelo, cantora, atriz e musa de Man Ray – reivindica uma incrível reputação; afinal, aquela é a mulher que se tornou, essencialmente, o coração pulsante de Montparnasse no apogeu da Paris boémia nos années folles. Kiki teria, muito provavelmente, adorado emprestar o seu nome à marca homónima de lingerie de luxo, em grande parte caracterizada por peças sensuais, em tules transparentes e renda chantilly. Com estrutura semelhante à alta-costura, detalhes em chiffon e recortes habilmente costurados, Kiki de Montparnasse desperta um certo empolgamento, enquanto a preferência da marca pela cor preta mantém a sofisticação.

Agent Provocateur

É sobejamente conhecida pela sua lingerie romântica, poderosa e elaborada, inspirada no boudoir. Embora o seu nome sugira o contrário, Agent Provocateur é originária do Reino Unido, tendo sido fundada em 1994 pelo filho de Vivienne Westwood, Joe Corre. A marca subverteu as fantasias masculinas ultrapassadas e colocou as mulheres na posição dominante, para se sentirem especiais, sexy e confiantes – com efeito, as suas campanhas situam-se entre as mais sexy do mundo da moda, com Kate Moss, Kylie Minogue e Maggie Gyllenhaal como musas e modelos.

Carine Gilson

Os melhores materiais e um savoir-faire artesanal de incomparável qualidade fazem de Carine Gilson uma marca de lingerie de alta-costura. As mais luxuosas sedas de Lyon e as rendas de Calais são meticulosa e perfeitamente trabalhadas no atelier com sede na Bélgica. A designer com o mesmo nome logo lançou a sua linha de lingerie, sinónimo de um mundo repleto de belezas únicas… Na marca, cada peça é soberbamente trabalhada à mão, onde a perfeição e a finesse casam com o rigor e a paixão. A incrustação de renda é elevada à forma de arte.

Fleur du Mal

‘Vestir e despir de forma inspiradora’; esse é o sonho que Jennifer Zuccarini se propôs realizar com Fleur du Mal, uma marca de lingerie que leva o nome do livro de poesia de Charles Baudelaire: ‘Les Fleurs du Mal’ (As Flores do Mal). As criações luxuosas de Fleur du Mal apresentam, em regra, motivos florais, flocados e estampados, ou bordados e aparados. Para uma marca inspirada na poesia francesa e no romance, a essência da sua linha não resulta nenhuma surpresa.

Por João Libério

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes