Vista Alegre lança linha têxtil: Ana Moura e Catarina Furtado são a imagem da nova coleção

previous arrow
next arrow
Slider

A Vista Alegre, marca centenária portuguesa de Porcelana, Cristal e Vidro, apresenta um novo segmento premium, os têxteis. O lançamento é inaugurado com uma coleção de três echarpes e duas mantas em caxemira de alta qualidade, inspiradas na decoração de quatro coleções de porcelana da marca: Duality, Ivory, Transatlântica e Amazónia.
 Uma evolução orgânica, que dá continuidade à paixão da Vista Alegre pela arte e pela beleza, repetida agora em acessórios de moda e numa linha casa que aposta na originalidade, na sofisticação e no conforto excecional, graças à caxemira de qualidade superior. Peças com uma suavidade invulgar, consistência de enorme leveza e textura especialmente delicada. Ana Moura e Catarina Furtado são a imagem da nova linha.

Duality – Evocando a dialética entre naturezas opostas, Duality retrata razão e emoção, serenidade e vigor, harmonizando elementos sobriamente clássicos com  cores exuberantes num rodopio visual.

Amazónia – O exotismo da cultura amazónica e o legado artístico da Vista Alegre combinam-se em expressões estéticas de enorme riqueza e simbolismo e espelham a diversidade cultural cultivada pela marca.

Transatlântica – Atravessou o grandioso Atlântico para evidenciar a união de sangue entre dois povos, recriando padrões clássicos através de uma interpretação original e contemporânea.

Ivory – Inspirada no branco do mundo natural, Ivory celebra a simplicidade com elegância, acentuando a sensação de conforto como se de um suave e sereno abraço se tratasse.

A origem da caxemira

Sempre aberta ao mundo na busca de novos conhecimentos e dos melhores especialistas, a VA encontrou na região da Mongólia interior a matéria-prima e o conhecimento necessários para dar corpo a este projeto.

É neste terreno remoto, acidentado e com um clima difícil que a Vista Alegre obtém a matéria prima proveniente das cabras, convertida na caxemira de maior nobreza. Um tecido raro e exclusivo, fruto de um longo processo de pastoreio, de recolha e de transformação manuais.

Graças ao seu pelo, composto por duas camadas, as cabras sobrevivem às condições extremas desta região, incluindo tempestades de areia e temperaturas extremas. Ao longo das estações, os pastores nómadas conduzem os rebanhos por terrenos arenosos ou nevados, em profunda comunhão com a natureza e ritos ancestrais. Em maio, quando o tempo aquece, as cabras perdem a fina camada com efeito barreira, que retém o calor no corpo, e são depois penteadas manualmente, num processo indolor para o animal e inteiramente sustentável, de modo a recolher a preciosa pelagem. Não mais do que 250 gramas de material, que é enviado posteriormente para verificação e transformação.

Os grandes especialistas mundiais na fiação de caxemira superior, fornecedores das grandes casas de alta-costura, fazem a análise e o controlo de qualidade do fio. Este é um processo que combina tecnologia e profundo conhecimento artesanal. Somente o material que corresponde aos mais altos níveis de excelência é utilizado no fabrico dos têxteis Vista Alegre.

Têxteis, projeto sustentável

A cadeia de obtenção e transformação da caxemira assegura a delicada simbiose entre humanos, animais e o ambiente. A observação do ciclo natural de pastoreio na região da Mongólia, onde a matéria-prima é recolhida, a colheita manual, o respeito pelos caprinos e a pequena quantidade de material recolhido garantem uma produção responsável.

Através deste projeto, a Vista Alegre participa na melhoria da qualidade de vida e de trabalho da comunidade local, contribuindo para a manutenção de uma atividade ancestral que salvaguarda as espécies, a paisagem e a transmissão de conhecimento.

As caras do projeto

Ana Moura e Catarina Furtado são a imagem da coleção Vista Alegre Têxteis

Além de traduzirem o bom-gosto e sofisticação identificados com a marca, Ana Moura e Catarina Furtado promovem os valores de universalidade, respeito e admiração pelo trabalho artesanal em sintonia com a natureza, assim como pela defesa da responsabilidade social.

Ana Moura, intérprete consagrada por uma carreira de sucesso a nível mundial, com mais de um milhão de discos vendidos, e Catarina Furtado, comunicadora, autora, atriz, embaixadora da Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a População e fundadora e Presidente da Associação sem fins lucrativos “Corações Com Coroa”, são a imagem da coleção de echarpes e mantas Vista Alegre.

Ana Moura

“Quando me foi lançado este desafio não hesitei em aceitar por várias razões. Desde logo, porque me apaixonei pelas echarpes e pelas mantas que a Vista Alegre criou. Confesso que são peças que qualquer mulher adorará ter no seu guarda-roupa como complemento de moda, ficando as mantas bem em qualquer casa. A cor, a vida e a qualidade da coleção identificam-se plenamente comigo e, acredito, com a maioria das mulheres que gostam de sofisticação e requinte. Sendo uma artista que cruza palcos de todo o mundo, será́ um prazer enorme levar comigo as echarpes e as mantas para um aconchegante conforto do corpo e dos locais onde fico”.

Catarina Furtado

“É para mim uma enorme honra ver o meu nome associado a uma das mais prestigiadas marcas portuguesas, com um enorme alcance mundial. A Vista Alegre é, sem dúvida, o prolongar de uma identidade nacional que a todos e todas deve orgulhar. Além disso, através desta coleção, a marca está a contribuir para a preservação de um ecossistema e uma cadeia de conhecimento que perduram através da história de forma praticamente intocada, e onde o tempo é rei. Um projeto que, pelo seu cariz sustentável, ainda mais me atraiu, coroado pela beleza e versatilidade das echarpes e mantas!”.

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes