WEC, o clube privado à volta do vinho, da comida e do networking – por Óscar Mendes

Oscar Mendes WEC

Em Portugal, não havia um clube privado que juntasse vinho e networking em jantares enogastronómicos regulares. Por sermos apaixonados confessos por vinhos, por afiançarmos que a qualidade dos nacionais é ótima e por acreditarmos nas oportunidades de networking, pessoais e profissionais, criámos o Wine & Executive Club (WEC).

O WEC foi criado em 2016, por mim, que há muito trabalho com marcas de vinhos portuguesas, e por Eric Dubois, que já há muito conhecia este modelo, em França, onde reside. Com este projeto, inovador em Portugal, quisemos juntar à mesa, em jantares enogastronómicos, empresários e executivos de diversas áreas de negócio. Durante cerca de quatro horas conversa-se, provam-se vinhos de grandes casas portuguesas, é servido um cocktail e um jantar especificamente desenhados para o vinho que estiver à prova nessa noite. Todos os meses há um produtor convidado, que providencia o vinho e, pelos nossos encontros – que decorrem em hotéis emblemáticos da grande Lisboa, incluindo o Pestana Palace – já passaram nomes como Herdade do Mouchão ou Herdade da Malhadinha Nova, IdealDrinks, Symington ou Quinta do Cotto e Reynolds, entre dezenas de outras casas vitivinícolas de referência.

O WEC é um clube onde se criam relações fortes, negócios e parcerias. Se, no início, foi muito desafiante captar interesse de novos membros, hoje já tudo corre com outra fluidez. Os membros mais antigos vão trazendo outros. As marcas de vinhos contactam-nos para fazerem parte dos jantares, e estes dois fatores são a prova de que o projeto está bem alicerçado e chegou no momento certo.

Hoje, decorridos pouco mais de três anos depois do primeiro jantar, já passaram pelos encontros WEC, 38 casas de vinho de referência. Temos mais de 60 membros que, todos os meses, fazem parte de um círculo restrito e que, em comum, têm o gosto pelo vinho, apreciam boa comida e privilegiam as oportunidades de conhecer pessoas novas de diferentes áreas de negócio e com diferentes experiências de vida. A figura do orador – que todos os jantares é convidado para uma conversa de 20 a 30 minutos – vai ao encontro daquele perfil. Durante os jantares do WEC já foram entrevistados Tim Vieira, o shark tank CEO da Bravegeneration, Mário Palhares, fundador e Presidente do Conselho de Administração do Banco de Negócios Internacional (Angola), Miguel Frasquilho, Presidente do Conselho de Administração da TAP, Pedro Carvalho, um dos fundadores e atual membro não executivo da direção da Novabase, ou Paulo Pereira da Silva, CEO da Renova. Um bom vinho e uma boa conversa à volta de temas da atualidade e do percurso profissional do convidado são o mote mensal.

Trocam-se ideias, informações, partilham-se conhecimento e contactos: faz-se networking num ambiente descontraído com formalidade q.b. em que o vinho é dos principais protagonistas. Os outros protagonistas são os membros a quem, quase todos os jantares, surpreendemos com pequenos mimos como, por exemplo, oferta de noites no Hotel The Oitavos (Quinta da Marinha), cursos de veleiros (Cascais), entre outros presentes que, no fundo, querem passar apenas uma mensagem: obrigado por estarem connosco!

Várias marcas têm vindo a aderir ao grupo como é o caso da Bentley, Riedel, Vinalda, Boutique dos Relógios Plus, Montblanc, Ermenegildo Zegna, Loja das Meias, entre outras da área dos vinhos, da hotelaria, da moda ou da imprensa, como é o caso da F Luxury, parceira neste projeto, e que está de muitos parabéns pelo seu quinto aniversário!

Saiba mais em https://www.wineexecutiveclub.com

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes