Dr. Helder Silvestre, o mestre da cirurgia plástica estética

Harmonização facial sem cirurgia, botox e ácido hialurónico (antes)
Harmonização facial sem cirurgia, botox e ácido hialurónico (depois)
Harmonização facial sem cirurgia, botox e ácido hialurónico (depois)
Cirurgia à face, pescoço, pálpebras, sobrancelha, nariz e orelhas (antes)
Cirurgia à face, pescoço, pálpebras, sobrancelha, nariz e orelhas (depois)
previous arrow
next arrow
 

Dr. Helder Silvestre , renomado cirurgião plástico, revela-nos tudo sobre a sua paixão e missão nesta área da medicina

A Cirurgia Plástica Reconstrutiva e Estética é uma especialidade médica que evoluiu bastante durante a Primeira Grande Guerra Mundial, com o tratamento de queimados e a reconstrução de faces e corpos. Desde então, esta especialidade médica teve uma evolução exponencial, com grande benefício para os pacientes por nós tratados.

Hoje, a Cirurgia Plástica Estética, área a que me dedico profundamente, tem como objetivo ajudar os pacientes a recuperar ou rejuvenescer zonas da face e/ou corpo, de forma a restaurar a sua autoestima e qualidade de vida. O século XX é, sem dúvida, marcado pelo conceito de ‘mente sã, corpo são’, tendo a estética corporal uma dimensão muito importante. O meu percurso profissional começou com a entrada no curso de Medicina – queria ser Cirurgião Plástico, e há época existiam três vagas para 1200 candidatos – e como o sonho comanda a vida, foi concretizado.

Estou na Cirurgia Plástica há 21 anos, e nestas duas décadas assistimos a um progresso técnico e científico impressionante. Tal exige a qualquer Cirurgião Plástico um esforço de atualização permanente, o que torna esta arte médica num desafio apaixonante.

A componente científica é fundamental, por isso, e desde sempre, participei como palestrante convidado em congressos como o ‘Face2face’, em Cannes, o ‘AMWC’, no Mónaco ou em cursos e congressos organizados pelo ISAPS (Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética) ou ainda o EACMS (Sociedade Europeia de Cirurgia Plástica Estética), para citar alguns. A minha prática está desde sempre muito presente na linha de Cascais. O seu ambiente cosmopolita tem vindo a revelar-se extremamente enriquecedor, em boa medida devido ao número de pacientes oriundos de muitos países e de distintos continentes.

Destaco os pacientes de língua oficial portuguesa, a quem procuro, com enorme satisfação, proporcionar um ambiente confortável. Fazê-los sentirem-se em casa é para mim fundamental, considerando a nossa história e língua em comum.

A minha filosofia na cirurgia ou tratamento holístico não cirúrgico da face é o rejuvenescimento/embelezamento, que tem como premissa obrigatória a naturalidade. O que é esquisito não é belo… Na cirurgia corporal pretendo restaurar a silhueta perdida e/ou pretendida.

Na última década tivemos duas tendências muito marcadas:
– Na face, o crescimento da medicina estética, tratamentos minimamente invasivos, isoladamente ou como complemento da cirurgia de forma a obtermos os melhores resultados.
– No corpo, a remodelação das nádegas, com enxerto de gordura e/ou próteses de glúteos, permitindo manter o corpo com uma aparência bastante mais jovem.

Realço ainda que hoje, e com os avanços técnicos e científicos em vigor, oferecemos mais segurança, qualidade nos resultados e recuperações mais rápidas aos nossos pacientes, permitindo que voltem à sua vida pessoal e socioprofissional de uma forma mais célere.

Concluo, referindo que no meu conceito o Cirurgião Plástico deve unir a vertente científica da medicina à visão artística do corpo humano.

Por Dr. Helder Silvestre

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados