Bentley em festa

previous arrow
next arrow
Slider

A história da Bentley acompanha toda a história do século XX até aos nossos dias – assumindo um caráter decisivo mesmo antes da própria fundação. No ano do seu centenário, a marca britânica tem vindo a olhar para o futuro, reforçando o seu estatuto de excelência, nascido da inspiração de W. O. Bentley.

No dia 18 de janeiro de 1919, a história do universo automóvel mudaria para sempre, e radicalmente, com a fundação, em Crewe, no condado inglês de Cheshire, da marca Bentley Motors Limited. Walter Owen Bentley, engenheiro e empresário, então com 30 anos, criava (com o seu irmão H. M. Bentley) uma empresa que tinha, como primeiro e grande objetivo, construir e desenvolver automóveis de luxo e sofisticados, com recurso à tecnologia mais avançada e o apoio dos meios humanos mais bem preparados. W. O. Bentley dava assim início – sem o saber, mas com total intenção – a um império que, um século volvido, mantém intocado o seu estatuto e o seu brilho, através da produção de modelos que preservam os critérios intemporais da marca, e continuam a despertar, incomparavelmente, a admiração e o desejo, por entre todos os apaixonados por motores.

A Bentley é, aliás, o culminar natural do percurso de W. O. Bentley e das suas paixões, reveladas desde criança. Conta-se do jovem Walter que, com apenas nove anos, comprou uma bicicleta em segunda mão e desmontou-a por completo, apenas para descobrir e perceber exatamente como funcionava o seu mecanismo. Mais tarde, aos 16 anos, decidiu abandonar a escola para integrar a equipa da Great Northern Railway, uma linha ferroviária suburbana, cumprindo, desta forma, o seu sonho de infância de trabalhar na plataforma de uma locomotiva a vapor, onde lançava carvão na fornalha, mantendo a pressão e a velocidade. Após cinco anos na função, a sua paixão – transformada em obsessão – alterou-se completamente, transferindo-se para as estradas.

Em 1912, W. O. Bentley começou por importar para o Reino Unido carros franceses, da marca Doriot, Flandrin & Parant, embora a sua real ambição no setor fosse, desde o início, fundar a sua própria empresa de fabrico de automóveis. Esse objetivo, porém, teve de ser repetidamente adiado, devido ao eclodir da Grande Guerra, em 1914. Durante o conflito, W. O. Bentley, agora capitão do Serviço Aéreo Naval Real, aproveitou os conhecimentos adquiridos para criar o primeiro motor Bentley (o BR.1), que, dando-lhe uso prático e imediato, aplicou a aviões de combate, tornando o modelo Sopwith Camel no mais poderoso e confiável caça de guerra britânico.

Em 1919, W. O. Bentley pôde, finalmente, pousar os pés no chão e fundar a sua tão desejada marca de produção de automóveis. A partir dessa data, a história foi-se desenrolando, sempre com o rigoroso cumprimento de critérios de excelência, com recurso aos mais elevados padrões técnicos e tecnológicos, a cada novo modelo e lançamento. A década de 1920 trouxe a glória nas pistas das conceituadas 24 Horas de Le Mans – pelas mãos dos eternos Bentley Boys e Bentley Girls –, que pôs a Bentley num patamar de que jamais abdicou, mantendo-se sempre no topo, sem nunca deixar de espreitar rumo ao horizonte do futuro.

CHEGAR AO FUTURO À BOLEIA DO EXP 100 GT

O centenário da Bentley – que integra o Grupo Volkswagen (que reúne várias marcas de automóveis de topo) – inclui um vasto programa de comemorações, no qual se conta o lançamento premium de um conjunto de produtos que visam assinalar esta efeméride: como um livro histórico ou um relógio de luxo. Os tão ansiados novos modelos, criados, precisamente, no âmbito destas comemorações, também já foram apresentados, confirmando a regra da marca, que permite olhar para o futuro com uma certa nostalgia (e, sobretudo, muito respeito) do passado. É desta forma que os atuais quatro mil trabalhadores da fábrica de Crewe deram vida ao Continental GT Number 9 e ao Continental GT Convertible Number 1 Edition da Mulliner, modelos exclusivos, inspirados em alguns dos mais icónicos e inesquecíveis carros de corrida da Bentley.

Porém, a grande novidade, que mais atenção tem despertado, surge com o elétrico EXP 100 GT, um protótipo que revela o que poderá ser um Bentley no (já não tão) longínquo ano de 2035. Sem nunca perder de vista a sua tradição, o modelo, que remete visualmente para as décadas de 1950/1960, apresenta o futuro, tendo como base a alternativa aos combustíveis fósseis tradicionais. O EXP 100 GT terá baterias de nova geração, com maior densidade energética, que permite reduzir de forma sensível o seu peso e oferecer uma autonomia de cerca de 700 quilómetros e a possibilidade de recarregar 80 por cento da sua bateria em apenas 15 minutos. Feitas as contas, o veículo comportará 816 CV e atingirá 300 km/h de velocidade máxima.

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes