A beleza exclusiva do Aquanaut Luce da Patek Philippe

A qualidade incontornável da manufatura genebrina

Aquando do seu lançamento, em 1997, o Aquanaut causou sensação pelo seu design moderno e inesperado, a sua caixa octogonal arredondada, inspirada na caixa Nautilus, e a sua pulseira tropical feita com um novo material compósito ultrarresistente à tração e aos raios ultravioleta.

Para as senhoras que desejam combinar o desporto contemporâneo na moda com uma pitada de audácia, a Patek Philippe criou em 2010 uma versão em ouro rosa com um bisel iluminado por uma fileira de diamantes. Daí o seu nome: o Aquanaut Luce (luz em italiano).

A referência 5068R, com bracelete e mostrador em cor Pure White, é um relógio que alberga na sua caixa o calibre de corda automática 324 SC, visível através do fundo da caixa de cristal de safira. Com 3,3 mm de altura, é tão fino que, mesmo o relógio acabado – apesar da sua estanquidade até 120 metros, digna dos melhores modelos desportivos – preserva todo o requinte típico dos relógios Patek Philippe.

Sobre o fino relevo axadrezado do mostrador destacam-se os números arábicos aplicados e os ponteiros das horas e dos minutos em formato bastão, todos em ouro rosa e relevados por um revestimento luminescente. A isto acresce o ponteiro dos segundos central e a janela de data às três horas.

Uma das características mais apreciadas dos relógios Patek Philippe são os seus acabamentos manuais. Estes garantem 100 por cento a beleza e a precisão de todas e cada uma das peças que saem da manufatura. A Patek Philippe domina perfeitamente esta tradição relojoeira que, sem dúvida, assinala um marco na relojoaria genebrina.

Os acabamentos feitos à mão combinam uma vasta gama de finas ornamentações e subtis adornos que complementam o relógio uma vez terminado o trabalho próprio de fabrico dos componentes e o movimento.

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes