O mundo encantado da Patek Philippe

Visita à casa-mãe em Genebra, na Suíça

É muito fácil perdermo-nos de amores pela Patek Philippe. Ainda em criança, antes ainda de aprendermos a ler os ponteiros através do visor, já o nome da fabricante suíça de relógios de luxo, com quase dois séculos de existência, desperta desejo. A Patek Philippe é sinónimo de beleza e de exclusividade. Aproveitando uma oportunidade rara, destinada a um pequeno e restrito grupo de convidados, tive o privilégio de conhecer por dentro os segredos em torno da produção dos mais singulares exemplares de alta relojoaria do mundo.

O convite para conhecer as instalações da Patek Philippe, a sua casa-mãe, em Genebra, surgiu por intermédio da Tibau Martín Comunicación, representante da marca para a Península Ibérica. De regresso à Suíça, esta foi uma experiência inolvidável. As instalações da Patek Philippe correspondem, em tudo, à imagem refletida pelas peças da marca; e a busca constante pela perfeição.

A Patek Philippe foi criada de forma humilde, pela mente e pela mão do imigrante polaco Antoni Patek. Em 1839, Patek abriu a sua primeira  oficina e, apenas cinco anos depois, uniu os seus esforços aos do  relojoeiro francês Adrien Philippe, inventor do  mecanismo de corda sem chave. Foi esta a base da fundação da Patek Philippe, designação que a companhia ainda hoje mantém. A partir desse momento, a marca não mais deixou de crescer. Mantendo-se fiel aos seus princípios fundadores, produzindo a partir de critérios rigorosos, a marca soube reinventar-se com a passagem do tempo, acompanhando a evolução com criatividade estética e técnica. 

Nesta visita, foi possível conhecermos as novas instalações da sua fábrica em Plan-les-Ouates, na zona limítrofe de Genebra; o Museu Patek Philippe, no bairro de Plainpalais da mesma cidade; e o seu fantástico salão, na renovada rua do Rhône, também em Genebra – espaços que justificam o sucesso da marca, onde a técnica e o bom gosto convergem para a obtenção de resultados finais excecionais.

Liderada por Thierry Stern, desde 2009, a Patek Philippe é hoje uma das mais prestigiadas fabricantes de relógios de luxo do mundo, admirada por especialistas e aficionados. Atualmente, sete relógios da Patek Philippe figuram no top ten dos mais caros alguma vez transacionados em leilão. O recorde pertence ao modelo Patek Pihilippe Henry Graves Supercomplication, que, em 2014, foi vendido por 21 milhões de euros.

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Edição 22

Edição 22

F is for… Fall and transformation É altura de dizer adeus ao verão e regressar

Edição 21

F is for… Feeling Summer Quando éramos pequenos, sonhávamos com férias junto ao mar e

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes