Louis Vuitton renova compromisso solidário com UNICEF

Novas pulseiras Silver Lockit Fluo

No terceiro ano em que estabelece parceria com a UNICEF (Organização das Nações Unidas para a Infância), a Louis Vuitton volta a focar-se nas pulseiras Silver Lockit, desta feita com cores fluorescentes. A campanha continua comprometida com os objetivos iniciais – chamar a atenção e angariar fundos para apoiar algumas das crianças mais vulneráveis do mundo.

Desde o lançamento da Silver Lockit, em 2016, a Maison angariou mais de cinco milhões de dólares americanos em prol da UNICEF, para apoio humanitário a crianças em necessidade urgente e a famílias, como as que foram afetadas pela crise da Síria. Para se ter noção de como esta contribuição fez a diferença, em 2017, um milhão e meio de crianças e as suas respetivas famílias na Síria foram abrangidas por um fornecimento de água.

A Silver Lockit Fluo tem um custo de 250€, dos quais 100€ são inteiramente doados à UNICEF. Assim, ao comprar esta pulseira, os clientes dão continuidade a esta ação e têm a oportunidade de ajudar a angariar fundos que apoiam os programas humanitários da UNICEF, que atualmente vão em auxílio de mais de onze milhões de crianças na Síria e países vizinhos.

A UNICEF fornece às crianças da Síria e de países vizinhos, água potável, instalações e serviços de saneamento, comida, ajuda médica, roupa e cobertores, para os meses de inverno.

Inspirada no cadeado inventado por Georges Vuitton em 1890 para proteger os bens preciosos dos clientes, a Silver Lockit é, precisamente, um símbolo de proteção e, por isso, porta-estandarte desta parceria. A pulseira encontra-se disponível em cinco cores: amarelo, laranja, rosa, azul e preto.

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes

Maria Borges

Fez história ao surgir na passerelle do mundialmente famoso evento da Victoria’s Secret, com o

Gourmet restaurantes

O primeiro pecado

Em boa verdade, o primeiro e o terceiro: para se bem pecar pela gula, não