Ana Sofia, uma mulher de talentos – à conversa com F Luxury

Atriz e Modelo

Mulher de 28 anos, simpática e cara de menina. Começou na moda aos 14 anos e pouco tempo depois rumou para Nova Iorque. Após regresso a Portugal, para além da carreira de manequim, abraçou a carreira de repórter e apresentadora de TV. Hoje é uma mulher ainda mais realizada, ao conseguir ser actriz.
É a primeira vez que representa na vida e entra na “Única Mulher” como uma das protagonistas.

Como encaras a tua primeira experiência como atriz, e logo como protagonista?

Encaro de forma natural. Nesta altura, como já estamos a gravar há alguns meses, já me habituei. Confesso que no início foi algo que me deixou surpresa, não sabia se estava preparada para a Mara Venâncio e com o tempo acho que se tem vindo a revelar que estava! É algo em que continuo a trabalhar, tenho vindo a fazer formação todos os meses, portanto, dá muito trabalho mas também me dá muito gozo.

Habituada a viver uma rotina mais desprendida como manequim, está a ser fácil esta transição para as novelas?

A transição para as novelas foi fácil “qb” porque eu já estava habituada a ter um ritmo de trabalho exigente, em Nova Iorque. Tinha a minha rotina, uma rotina de muito trabalho. Portanto a transição para as novelas dá-se de forma natural, apesar de agora ter menos tempo para a vida pessoal, é algo que tento não pensar muito porque, neste momento, tenho de estar focada neste projeto.

Sentes-te uma menina a viver um sonho?

Sim. Até certo ponto sim, acho que é um sonho mas, é um sonho muito palpável porque é um sonho que eu trabalho diariamente para tornar realidade. Mas sem dúvida que, neste momento, a minha vida é fantástica!

Se te dissessem, aos 14 anos, que a tua vida seria o que é hoje, acreditarias?

Não acreditaria por um lado, porque não fazia ideia onde a minha carreira me iria levar, mas se me perguntassem talvez há 5 anos, se calhar já acreditava, até porque, talvez inconscientemente, comecei a tomar algumas decisões na minha vida que me trouxeram ao ponto onde estou hoje.

Como qualquer pessoa, tentamos sempre melhorar o nosso futuro. Para ti, isso faz com que não queiras estar sempre a falar do teu passado?

O que faz com que eu não queira estar sempre a falar do meu passado é o facto de já se tornar repetitivo. O passado não se muda. Se me pedirem para falar do presente, se calhar há coisas que vão mudar de um dia para o outro, de uma semana para a outra, agora o passado… o passado é passado. Não há nada que eu possa contar de forma diferente porque eu conto a verdade.

És o teu cabelo? Ao início, tiveste muitas dificuldades em ser aceite no mundo da moda, pelo mesmo?

Não. Não sou o meu cabelo, definitivamente. Devo muito ao meu cabelo e tenho consciência disso. As dificuldades que tive cá, depois foram compensadas pelas facilidades que tive nos Estados Unidos, portanto tento não pensar muito nisso.

E em relação à tua personagem na “A única mulher”, onde vives uma história que gira em torno do racismo. Achas que esta novela poderá mudar atitudes nas pessoas reais?

Espero que esta novela, de fato, mude as cabeças de algumas pessoas que ainda são um bocadinho quadradas. Sei que não é de um dia para o outro que estas coisas mudam, sei que são precisas várias gerações para isso acontecer mas acho que estamos no bom caminho.

Conta-nos sobre a tua viagem a angola. Fez-te sentir mais rica? Porquê?

A minha viagem a Angola fez-me sentir uma pessoa muito mais rica porque sinto que me formou muito o carácter. Eu tenho 28 anos, não estou numa idade em que se possa dizer “ah, agora aos 28 anos é que me formaram o carácter”, não! Mas aprendi muita coisa ao estar em Angola. Nós aprendemos muito com as pessoas de lá, as pessoas da terra, pessoas verdadeiras e isso para mim foi muito compensador.

O que sentiste quando viste o primeiro episódio da novela?

Senti-me muito feliz e emocionada. Senti que foi o culminar de muitos meses de trabalho e chorei! Portanto… é bom sinal. Chorei de alegria!

Apesar de todos os sentimentos sobre uma infância diferente, e de te teres conseguido superar, se calhar até mais do que imaginavas… Consegues manter-te fiel a ti própria, sem perder a humildade?

Sim. Porque eu não sei ser de outra forma. Eu só sei ser assim. Nem faz sentido pensar ser de outra forma. O fato de eu ter tido o background que tive também me ajudou muito a não me deixar iludir com as coisas douradas que me podem aparecer à frente.

Manequim, repórter, apresentadora e agora atriz. Qual o próximo passo?

O próximo passo é conseguir afirmar-me, por exemplo como apresentadora e como atriz, talvez, não sei! Ainda é algo que estou a pensar mas nem o céu é o limite. Tudo o que me apetecer fazer, vou fazer e vou fazer bem.

Conta-nos tudo… Quais são os teus truques de beleza?

O meu primeiro truque de beleza é ser feliz. Soa a cliché mas acho que quando estamos felizes não ficamos feios. Por muito que tenhamos olheiras ou que tenhamos borbulhas, se há um sorriso na nossa cara estamos automaticamente mais bonitos. Depois, claro que tenho os cuidados de me desmaquilhar muito bem, de usar bons produtos, de hidratar muito bem a minha pele. Tento beber água, apesar de não ser fácil para mim porque não é um hábito que tenha tido desde muito cedo mas estou a tentar educar-me nesse sentido.
Depois, lá está, o meu cabelo. Hidrato-o muito bem, corto as pontas, tento de estar sempre em cima do acontecimento!

Sendo mais do que uma trendy girl, um exemplo de vida. Qual a palavra de culto a passar, a quem se revê em ti?

Não tenho nenhuma palavra de culto para passar porque nem sequer sei o que isso é! Mas o que posso dizer, um conselho de vida às pessoas, é terem calma. As coisas por muito más que sejam acabam por encarrilar se nós estivermos dispostos a trabalhar para isso. Como eu sempre estive disposta a fazer esse trabalho, a minha vida encarrilou e tenho a certeza de que, dentro do que eu posso controlar, não vai mais descarrilar.

Veja a sua produção

/ Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Sharam Diniz

Celebrities at Home – Sharam Diniz

Acredito que todo este panorama não esteja a ser em vão. Creio realmente que terá que haver uma mudança necessária no nosso comportamento em relação ao planeta, à natureza, à vida.

/ Artigos Recentes

Artigos Recentes

Sharam Diniz

Celebrities at Home – Sharam Diniz

Acredito que todo este panorama não esteja a ser em vão. Creio realmente que terá que haver uma mudança necessária no nosso comportamento em relação ao planeta, à natureza, à vida.

Pinky Promise

Ainda que um pouco inesperado, o rosa é a cor tendência para os dias de